25 de maio de 2013

Fim da Saga de Equivalência Profissional


Olá a todos.
Faz um tempo que não apareço por aqui em função do dia a dia agitado de trabalho. Mas boas coisas aconteceram desde o início do ano.
Em 16 e 17 de março fiz o terrível exame da Ordem dos Enfermeiros. No dia 16 foram as situações práticas, nas quais o candidato tem 10 minutos pra intervir sobre um determinado problema. As situações variam desde como ensinar os sinais de hipoglicêmia a um portador de diabetes ou intervir junto a uma pessoa com risco de suicídio. Ao fim do post, coloco a lista de situações para se ter uma idéia. O mais difícil desse momento é controlar a ansiedade e estresse, pois em cada cenário (consultório) existe uma avaliadora da Ordem e atores simulando pacientes reais e os 10 minutos passam voando...
No dia 17 de março foi a prova escrita, com 105 questões divididas em pouco mais de quatro horas de prova... sufoco! Ao final do fim de semana de provas, todos querem conversar sobre as questões, o desempenho e as dificuldades. É esta a hora mais difícil, pois aí começam as dúvidas "nossa, esqueci de fazer isso; esqueci aquilo; ih, acho que errei".
Tentei deixar de lado essa tortura psicológica até porque o resultado só sairia dali a dois meses!
E não é que no dia 06 de maio de manhã, tenho uma ligação de um amigo dizendo que havia recebido a carta com o resultado da prova... Aí a tensão voltou ao nível máximo: corri pra caixa do correio, mas lembrei que neste trecho da rua onde moro, o carteiro só passa no finzinho do dia... Dá-lhe maracujina!
Mas, no fim da tarde, lá está ela, com o resultado "réussite". Foram várias sensações misturadas, mas sem dúvida a maior delas foi a felicidade da conquista suada e de encerrar esta (longa) etapa de adaptação. Sem dúvida, sensação de dever cumprido. O único senão é quando soube de reprovações de algumas pessoas próximas e queridas, mas são as regras do jogo, infelizmente.

Mas, ok, e agora, o que muda?
A partir da aprovação me torno enfermeiro membro da Ordem, lembrando que antes eu era "candidato ao título de enfermeiro" e posso exercer todas as atividades legais sem restrições. Como os salários são escalonados em função dos anos de experiência e do título profissional terei um reajuste no meu valor atual  e posso participar de processos de seleção interna do hospital, por exemplo.

Tenho que agradecer às várias pessoas, que de longe ou perto, contribuíram para minha saúde mental nesse período de estresse enorme me enviando orações, abraços e boas energias. Sempre acreditei que sozinho a gente conquista, mas juntos nós construímos...

Obrigado e abraços a todos.
Marcos

Resumo de Situações Práticas:
Caso1: jovem internado por primeiro episódio de esquizofrenia. História de ruptura amorosa recente, tem boa relação com uma irmã e é hora da refeição e você tem que convencê-lo a comer.
2) Senhora com diabetes tipo 2 que é levada ao hospital depois de um desmaio em casa. Historia de não uso adequado de medicações orais; fazer ensinamentos dos remédios e alimentação.
3) Bebê de 2 meses internado por febre. Explicar à mãe ansiosa sobre antibióticos, coleta de exames de sangue e urina.
4) Senhora com dor crônica em consulta em clínica externa que quer se suicidar naquele dia.
5) Senhor em quinto dia de internação pós-AVC que tem que começar a comer. Um preposé está lá e você tem que orienta-lo, explicar e corrigir suas ações, bem como avaliar o paciente.
6) Senhor em pós-operatório de PTG (prótese de joelho) com antecedentes de insuficiência cardíaca e que apresenta dificuldade para respirar.
7) Senhor em pós-operatório de enxerto aorto-femoral que apresenta dor em baixo ventre, mas diz que urinou há pouco. Verificar globo vesical e fazer cateterismo.
8) Bebê RN (um boneco assustador, no meu caso) que precisava tomar vitamina K. Realizar preparação da injeção, orientar a mãe e aplicar.
9) Senhora em pós-operatório de PTH (prótese de quadril) que tinha uma ferida no calcanhar. Avaliar a ferida e intervir nos fatores de risco de feridas.
10) Senhora internada por quedas frequentes. Avaliar o risco de quedas, a infecção urinária e avisar médico.
11) Senhor em clínica externa para retirada de pontos de sutura apresenta dor no peito/estômago/pescoço . Avaliar e intervir (avisar médico e esposa - no meu caso)
12) Senhora internada por hipocalémia, apresentou confusão durante à noite e foi contencionada. Avaliar causas da confusão, seu estado atual e dizer se continua ou não em contenção.
13) Senhora internada precisa ser colocada em isolamento por gastroenterite. Pede que explique os cuidados e lavagem de mãos.
14) Uma jovem que mora com namorado tem história de violência conjugal. Avaliar rede de apoio e intervir.
15) Senhora com hemorragia digestiva alta, com hemoglobina baixa, tubo nasogástico, sonda vesical e oxigênio. Tinha 5!!! folhas pra ler só de orientações e medicações, avaliar a paciente e ajustar PTI (plano de intervenções de enfermagem).
16) Paciente em segundo dia pós-ponte de safena apresenta diaforese e alucinações. Antecedentes de consumo de álcool "social". Avaliar.

17 comentários:

Olá Marcos

Acompanho o blog de vcs faz um bom tempo e venho acompanhado a árdua saga pela equivalência.
Parabéns!!! Fico muito feliz em ver que no final todo esforço vale a pena.
Por favor continue escrevendo sobre a vida por aí e principalmente, se vc tiver tempo, sobre o trabalho de enfermagem aí. Suas experiências, as diferenças, esses relatos ajudam e encorajam muito!!
Vc pode me tirar uma dúvida? Para a preparação eu li que o livro mais utilizado é o Fundamentos de enfermagem de Potter. Estou querendo comprar um livro em francês, mas tô na dúvida se não é melhor comprar o Tratado de enfermagem de Brunner. Vc utilizou qual material?
Muito obrigada pela ajuda e mais uma vez Parabéns!!
Muito sucesso na sua jornada!!

Olá, Rafaela.
Obrigado pela leitura assídua.
Respondendo a sua dúvida: No curso de integração usamos muito o Potter (praticamente inteiro), pois a abordagem é mais direta e prática que o Brunner. Usei o Brunner algumas raras vezes pra fazer algum trabalho de estágio ou algo parecido.
Já para a preparação para a prova da Ordem, vale pegar guias de resumo da própria Ordem e do CHUM (Centre Hospitalier de l'Université de Montréal).
Bons estudos. Abração.

Marcos, parabéns, que todo esforço seja ainda mais recompensado!!

bjocas
Erika

Olá Marcos, super parabéns...
Estou muito feliz por vc , pois me enche de animo saber que um colega conseguiu vencer as barreiras que temos aqui.
Estou na luta, estudando o francês e torcendo pra conseguir corrigir minhas deficiências na escrita do francês.
Que venham muitas propostas de trabalho logo.

Parabéns!! Que muitas vitórias como essa aconteçam na sua vida.

Olá Marcos,
Parabéns pela conquista.
Sou estudante de enfermagem, assim que terminar a faculdade já darei entrada no processo, e tb estou estudando francês.
Li todas as suas postagem, vc chegou em outubro e começou no cegep em março, queria saber se neste meio tempo o que é possível fazer? E se você saberia me dizer se só posso pedir a bolsa auxilio assim que ingressar no Cegep ou se posso pedir antes.
Desde já agradeço qualquer informação que possa me dar.

Olá, Mari.
Na verdade cheguei em agosto e comecei o curso em março do ano seguinte. Nesse intervalo fiquei dando um reforço no francês com a francisação em tempo parcial (sem direito à custeio). Quando você começa o curso do Cegep vc pode pedir auxílio ao Emploi-Québec (tem uma série de regras e condições para se ter direito) ou vc pode pedir o Prêt et Bourse, que é uma bolsa de estudos, da qual vc tem que devolver uma porcentagem algum tempo depois de terminado o curso.
Vale lembrar a regra de ouro de só imigrar com o OK da Ordem nas mãos, pois o processo por aqui está cada vez mais longo e longo.
Abração e bons estudos. Qq dúvida, pode escrever.

Oi Marcos
Olha eu de novo por aqui, rsrs
Durante o período que vc estava participando do processo todo, vc teve algum trabalho?
Fico super preocupada do dinheiro acabar durante a espera,pq tô indo sozinha, totalmente por minha conta.
Li sobre préposé aux bénéficiaires, vc sabe alguma coisa sobre e se realmente podemos trabalhar nesta categoria.
Mais uma vez muuuuuito obrigada pela ajuda!!!
Abraços

Olá, Rafaela.
Uma dica de ouro é justamente vir pro Québec qdo tiver o OK da Ordem já em mãos, pronta pra começar o curso de integração.
Eu não trabalhei antes do curso de integração, mas conheço pessoas que trabalharam como Préposé (PAB). Para poder trabalhar é necessário fazer um curso prepatório (não gratuito).
Se ainda tiver dúvidas, fique à vontade pra escrever.
Abs

Ola Marcos, estamos acompanhando varios blogs e o seu nos chamou mais a atenção por ser da nossa area, eu estou no 8º período de enfermagem e minha esposa ja é formada, portanto 2 enfermeiros em casa, iremos iniciar o nosso processo junto ao Quebec assim que eu me formar no meio do ano que vem, uma das muitas duvidas é se posso trabalhar durante o processo de integração, se é possivel, ou se realmente tem que ter dedicação integral, gostaria de conversar mais com vc, se for possivel nos enviar um meio de contato mais imediato, ficariamos muito gratos, abs, Cassio e Carol

Olá, Cássio. Obrigado por acompanhar as aventuras aqui no blog. Te respondendo: trabalhar ANTES de começar o curso de integração é possível e algumas pessoas o fazem (como por exemplo trabalhar como Préposé aux bénéficiaires - PAB), mas DURANTE o curso é muito difícil e NÃO recomendável, pois vc tem que pensar que o curso de integração é uma mega revisão da faculdade condensado em 6 a 7 meses, numa outra língua e com estágios pra te fazer mergulhar na lógica de saúde do Québec. Há bolsas de estudos ou empréstimos de estudos que podem ser pedidos nesse período, sem estresse. TODAS as pessoas que conheci nesse curso (não só na minha turma) tinham dedicação exclusiva ao curso. Fica à vontade pra me mandar e-mail: marcos.soleil@gmail.com

Abraços a vc e família

Oi Marcos, agradeço muito a sua atenção em nos responder, acredito que vc tbm teve muitas duvidas como nós, e é sempre de grande valia ter alguem que já está inserido na area, vou sim te enviar e-mails, muito obrigado, Cassio e Carol

Parabéns Marcos,sou leitor assíduo do seu blog e estudante de enfermagem, espero um dia trabalhar aí no Canadá também. Sucesso.

e la vou eu para OUTRO exame da OIIQ .... (momento **onde amarrei meu burrinho?** em açao hoje)

parabéns atrasado

Olá Marcos! Tudo bem? Sua história é fantástica, mas fiquei um pouco perdida.
Sou Enfermeira há 3 anos, mas minha experiência é na Atenção Básica. Tenho planos de ir para Montreal (imigrar mesmo). Sou casada, e tenho uma filha de dois anos.
Acho que a pergunta principal pra te fazer é: Por onde começar além de estudar o francês?
Como é acontece todo esse processo? Documento, equivalência do Diploma? O que vem primeiro, e como se seguem os demais passos?
É interessante que eu faça algum Intercâmbio antes de ir? Qual o melhor local para se morar e trabalhar?
Obrigada pela atenção, aguardo retorno.

Abraços

Oi! Gostaríamos de saber mais. Conte a sua experiência. Se der entre em contato com a gente! Estamos indo em 2016 para Vancouver ou Toronto. Queremos ouvir mais pessoas que estão aí...

blog Olá Canadá!
Abraços,
Dan e Jo

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More